0 Compartilhamentos 797 Views 1 Comments

Como não resolver problemas de TI

21 de agosto de 2018

“Está saindo uma fumaça estranha dos servidores. Isso é normal? Acho melhor você vir pra cá…”. Quem nunca foi acordado na madrugada ou no Domingo de manhã para resolver um problema técnico na empresa? Quem trabalha com TI, mesmo não sendo da área de suporte, com certeza já passou por isso, seja no escritório onde trabalha seja para quebrar aquele galho para um parente ou vizinho com o PC infestado de vírus.

Esse guia de solução de problemas de TI é a solução: siga nossas dicas e nunca mais irão chamar você…

A primeira coisa a fazer é minimizar o impacto. Nada é tão feio quanto parece e a melhor forma de valorizar o seu trabalho é garantir para todo mundo que é só um probleminha e você resolve rápido. Mesmo que o fogo esteja se alastrando, mesmo que o vírus já tenha pulado pela rede inteira e esteja à caminho da matriz. Você dá conta! Acredite no seu potencial e tranquilize todo mundo.

O que nos leva à segunda dica: não confie em ninguém. Você trabalha melhor sozinho e já que foi acordado em um Domingo e chegou na empresa de pijama e sem café, é porque você e apenas você é necessário. Toda ajuda que você possa precisar está disponível no Google e mais gente só iria atrapalhar sua performance. Qualquer dúvida que você possa ter pode ser resolvida com a intuição ou um dado de seis lados.

(por outro lado, se você mobilizar a empresa inteira para ajudá-lo na solução, entrando em contato com o responsável por cada setor e formando uma força-tarefa emergencial, provavelmente também não vão mais chamá-lo para mais nada porque você é um chato alarmista, então não tem como sair perdendo nessa…)

Entretanto, o Google é seu maior aliado. O senhor de todas as respostas, o pai de todos os burros. Tenha certeza de que, em algum fórum perdido por aí, [email protected] passou pelo mesmo problema que você em 2008 (e provavelmente está esperando uma resposta até hoje, mas pode ser que não). Então, simplesmente digite a mensagem de erro que está na tela, clique no primeiro resultado que aparece e siga a primeira sugestão à risca porque não tem como o Google estar errado.

Lembre-se também que, se você foi convocado às pressas, é porque o problema nunca tem uma solução simples. Não é falta de memória, não é falta de espaço no disco, não é usuário digitando a senha errada, não é um problema de permissão ou um certificado expirado. Nunca é algo óbvio. Se fosse óbvio, não teriam te chamado. Ou teriam? Provavelmente é uma falha arcana que corrompeu o coração e a mente do banco de dados e apenas os escolhidos podem resolver. Em um Domingo de manhã, preferencialmente, porque assim foi profetizado. Ignore o óbvio, busque o obscuro: é assim que os mestres solucionadores exibem suas habilidades. Comece pela explicação mais bizarra que aparecer no Google, só para garantir.

Já que você está aplicando a primeira solução que uma pessoa que você nunca viu está sugerindo, quero dizer, testando sistematicamente propostas recomendadas pela comunidade nessa grande consciência coletiva que é a web, certifique-se sempre de queimar pontes. Não faça backups, não registre suas alterações, não salve arquivos: viva perigosamente como se não houvesse amanhã, porque esse é um trabalho que pede coragem do administrador. Quem vive de passado é museu!

Afinal, se não fosse dar certo, não estaria na internet, não é mesmo? Se o primeiro resultado não funcionar, tente o segundo e siga em frente por eliminação, sem reverter as tentativas anteriores porque todas essas possíveis soluções irão se somar e preencher uma barra de progresso invisível e uma hora o problema será sanado.

O sistema está com 230 atualizações pendentes? Instale todas de uma vez! Ainda usam o Windows XP no ambiente? Que empresa é essa?! Partiu colocar aquele Windows 10 que você baixou por torrent para dar uma atualizada. Será que você tem que fazer todo o trabalho sempre? Você até poderia, hipoteticamente, focar somente no prolema em questão, buscar uma solução específica, mas não dá para fechar os olhos para tantos softwares desatualizados no servidor.

Instale o máximo de atualizações para todos os programas até aparecer a mensagem de que é preciso reiniciar. Aí então ignore a mensagem e instale mais atualizações ainda até mais nada funcionar. E só então reinicie o sistema. Enquanto o servidor se recupera e se cura sozinho, é um bom momento para avisar todo mundo que a rede caiu, estamos sem email e não há previsão de retorno, mas a culpa é do Bill Gates.

Lembre-se também de não registrar nada do que está fazendo. Pra que um log? Você nunca irá passar por esse problema de novo se seguir nosso guia e, como dizem por aí, uma árvore nunca cai em um raio duas vezes, ou algo assim. Na pior das hipóteses, se algum curioso perguntar como você resolveu o problema (você resolveu, né?), você sempre poderá puxar da memória e, talvez, improvisar as partes que faltam. Além do mais, é bem mais difícil explicar como você deu um jeito quando você não sabe quais das 230 atualizações pendentes foi a responsável ou se foi o chute (de leve) que você deu no gabinete.

Além do mais, documentar o processo é para os fracos. Você poderia anotar o que foi que deu errado, o que poderia ter sido feito para evitar o problema, como a situação poderia ser melhorada, as chances de acontecer de novo, se são necessárias medidas de prevenção ou treinamento… mas o Domingo está acabando, você perdeu o futebol, está cansado e com fome. Você merece um descanso! Se fosse para escrever alguma coisa, você teria feito faculdade de Humanas, não Exatas, certo? É tudo tão óbvio. Porque os outros não enxergam?

É claro que na semana que vem o mesmo problema pode aparecer de novo. Outra vez em um Domingo. E adivinha quem eles irão chamar? Sim, você. Você que não documentou nada. Que está de ressaca do sabadão no forró e mal lembra o próprio nome. Mas… sempre existe o Google, certo? Quem sabe você não esbarra em uma solução diferente que até resolva o pepino de uma vez por todas?

Carregando...

Você pode se interessar

Por que eu decidi não migrar para o Windows 11 agora
Artigos
100 visualizações
Artigos
100 visualizações

Por que eu decidi não migrar para o Windows 11 agora

Carlos L. A. da Silva - 19 de outubro de 2021

O novo sistema operacional da Microsoft está entre nós, mas talvez não seja uma boa ideia pular de cabeça.

Enumerando e analisando mais de 40 implementações de JavaScript (que não são V8)
Artigos
231 visualizações
Artigos
231 visualizações

Enumerando e analisando mais de 40 implementações de JavaScript (que não são V8)

Carlos L. A. da Silva - 6 de outubro de 2021

V8 é o interpretador JavaScript, também chamado de máquina virtual Javascript, desenvolvido pela Google e utilizado em seu navegador Google Chrome. Com o peso de seus criadores e a quase onipresença do navegador, foi apenas uma questão de tempo para essa implementação do JavaScritp se tornar dominante no mercado. Entretanto, um bom desenvolvedor sabe que […]

Sir Clive Sinclair, o homem adiantado no tempo
Artigos
413 visualizações
Artigos
413 visualizações

Sir Clive Sinclair, o homem adiantado no tempo

Carlos L. A. da Silva - 18 de setembro de 2021

O inglês Clive Marles Sinclair nasceu de uma família de engenheiros. Seu avô foi engenheiro, assim como o seu pai. Com um talento natural pela Matemática e um forte interesse em eletrônica, ele se tornaria uma página importante da popularização da computação em diversas partes do mundo, construindo um legado que se perpetuará por anos […]

One Response

Deixe um Comentário

Your email address will not be published.

Mais publicações

A cibersegurança por trás das vacinas
Artigos
510 visualizações
510 visualizações

A cibersegurança por trás das vacinas

Carlos L. A. da Silva - 7 de setembro de 2021
Top 25 comandos do Git
Artigos
651 visualizações
651 visualizações

Top 25 comandos do Git

Carlos L. A. da Silva - 28 de agosto de 2021
Dez anos de Kotlin: origens e futuro
Artigos
703 visualizações
703 visualizações

Dez anos de Kotlin: origens e futuro

Carlos L. A. da Silva - 20 de agosto de 2021