0 Compartilhamentos 82 Views

Os dez melhores frameworks Java do mercado

30 de outubro de 2020

Linguagens vão, linguagens vão, mas o Java segue imbatível em diversos cenários. Não há qualquer sinal de que sua popularidade irá desaparecer na próxima década e o volume de frameworks disponíveis é uma prova disso.

Trabalhar com desenvolvimento Java não precisa ser nem complicado, nem cansativo. Não é necessário reinventar a roda e um bom framework pode trazer uma implementação suave de recursos, chamadas e funções para seu ambiente. Além disso, eles agilizam o trabalho e oferecem soluções práticas para problemas comuns.

Selecionamos aqui dez frameworks para Java que devem fazer parte do seu cotidiano na hora de trabalhar com a linguagem de programação.

1) Spring

Quem está usando Spring: Netflix, Amazon, Ebay.

framework Spring é uma alternativa leve mas poderosa para interagir com Enterprise Java (JEE) em diferentes cenários. Sua arquitetura modular é completa, podendo ser empregadas em todas as camadas de implementação, inclusive em aplicações em tempo real.

Uma de suas principais vantagens é oferecer um container de baixo impacto que pode ser acionado sem a necessidade de um servidor web ou um um servidor de aplicação. Além disso, Spring tem suporte para JDBC, o que traz um ganho de produtividade para projetos e redução no volume de erros.

2) Play

Quem está usando Play: LinkedIn, Samsung, The Guardian.

O framework Play é outra alternativa leve mas poderosa para interagir com Java. Ele foi construído a partir de Akka e permite a criação de aplicações web modernas com foco em dispositivos móveis a partir de uma arquitetura stateless e amigável.

Suas principais vantagens são alta velocidade, qualidade e escalabilidade. O framework traz APIs assíncronos que permitem escalar aplicações sem a necessidade de sobrecarregá-la com recursos adicionais. Além disso, Play é altamente configurável, customizável e flexível para se adaptar aos requisitos de diferentes tipos de projeto.

3) Struts 

Quem está usando Struts: Infosys, Accenture, 3M.

O framework Apache Struts é uma solução robusta de código aberto para aplicações web, que segue o modelo MVC e que estende o o poder da API JSP, com uma abordagem servlet.

Apesar de sua aparente complexidade, Struts é fácil de configurar e oferece bastante flexibilidade e extensibilidade para o tradicional modelo MVC, funcionando como um bom ponto de partida para desenvolvedores em ambiente de JSP e servlets.

4) Hibernate

Quem está usando Hibernate: Oracle, IBM, Dell.

O framework Hibernate foi criado para oferecer mapeamento relacionado a objetos e trazer uma comunicação aperfeiçoado entre o Java e sistemas de gerenciamento de bancos de dados relacionais (RBDMS). Apesar de linguagens orientadas a objetos como o Java e esse tipo de database lidarem com dados de formas aparentemente incompatíveis, Hibernate permite uma interação suave entre os elementos.

Graças a esse framework é possível se comunicar com qualquer banco de dados usando poucas alterações no código, realizando operações em entidades Java e sem necessidade de redundância oriunda do API JDBC.

5) Wicket

Quem está usando Wicket: Toshiba, Tribunal Regional do Trabalho – 4, Burger King

O framework Wicket é uma opção simples e leve com uma estrutura orientada para componentes e de fácil aprendizado. Basta conhecer Java e HTML para começar a usar sem enfrentar uma longa curva de aprendizado.

Wicket adota o chamado modelo POJO (Plain Old Java Objects ou “bom e velho objeto Java”), com pacotes reutilizáveis de imagens, formulários, links, páginas, containeres, comportamentos e mais. O resultado é um desenvolviemnto de aplicações ágil e fácil de testar.

6) Spark

Quem está usando Spark: Apache, Asana, Playlife.

Classificado como um microframeworkSpark foi criado com Java e Kotlin (rodando em uma JVM) em mente. A partir daí, é possível desenvolver sem esforço microsserviços, aplicações web e APIs REST.

Uma de suas principais características é a agilidade, com foco na produtividade, podendo rodar em questão de minutos. Para projetos mais complexos, Spark é bastante extensível e o desenvolvedor pode implementar qualquer template engine.

7) Google web toolkit [GWT]

Quem está usando GWT: Google AdSense, Blogger, Google Wallet

O Google costuma produzir suas próprias ferramentas e era previsível que eles também tivessem um framework para chamar de seu. Batizado de Google Web Toolkit (GWT), ele é uma solução completamente gratuita, de código aberto que integra código Java do lado do cliente com JavaScript, empregando APIs do próprio Google.

A praticidade é a chave do GWT, permitindo que desenvolvedores construam aplicações de navedgador complexas em pouco tempo, sem precisar ser um especialista, com o próprio framework assumindo a responsabilidade de questões como otimização, suporte a múltiplos navegadores e design responsivo.

8) JSF (Java Server Faces)

Quem está usando JSF: Ebay, Lufthanza, BMW.

É importante não confundir JSF com JSP. Estamos falando aqui do framework JSF, desenvolvido pela Oracle como parte do Java Enterprise Edition 7. Apesar de um pouco datado, ainda é uma alternativa viável e que deve ser familiar para quem está acostumado a trabalhar com Struts.

JSF troca conhecimento do código por facilidade. Com o framework, é possível adotar várias tecnologias do lado do cliente, como CSS, JavaScritp e HTML para gerar interface de usuário simplesmente arrastando e soltando componentes. Isso libera o desenvolvedor para focar seus esforços na camada de apresentação.

9) JHipster

Quem está usando JHipster: Adobe, Siemens, HBO.

O framework Jhipster é relativamente novo no mercado, tendo sido lançado em 2013. Sua contemporaneidade se reflete na forma como se integra com Spring Boot, Angular, Bootstrap e React  para produzir aplicações Java modernas e fáceis de se desenvolver.

Jhipster também permite dois tipos diferentes de arquitetura: monolítica (com frontendbackend integrados em uma única aplicação) ou microsserviço (em que as camadas são separadas).

10) Grails

Quem está usando Grails: Cisco, IBM, Sony.

O framework Grails foi desenvolvido para a linguagem de programação orientada a objetos Groovy, para JVM, e sua sintaxe é totalmente compatível com Java e suas tecnologias, como containers de Java EE, Spring, SiteMesh, Quartz ou mesmo Hibernate.

Uma de suas principais vantagens está na facilidade de aprendizado com documentação ampla. Grails é um verdadeiro ecossistema com suporte a plugins e até mesmo com um IDE dedicado disponível para diferentes plataformas.

Carregando...

Você pode se interessar

Quanto ganha um programador? Confira uma das maiores pesquisas salariais realizadas no Brasil
Notícias
6 visualizações
Notícias
6 visualizações

Quanto ganha um programador? Confira uma das maiores pesquisas salariais realizadas no Brasil

Redação - 23 de fevereiro de 2021

O Canal Código Fonte TV realizou uma pesquisa salarial com mais de 11 mil programadores brasileiros. Entre os dados coletados é possível analisar a média salarial por: tecnologia, idade, gênero, região, entre muitos outros insights.

Seus dados vazaram. E agora?
Artigos
10 visualizações
Artigos
10 visualizações

Seus dados vazaram. E agora?

Carlos L. A. da Silva - 19 de fevereiro de 2021

Seus dados pessoais foram vazados e essa é uma verdade praticamente inevitável. A meta agora é minimizar os possíveis danos e cobrar autoridades.

Entendendo o elemento time em HTML 5
Artigos
16 visualizações
Artigos
16 visualizações

Entendendo o elemento time em HTML 5

Carlos L. A. da Silva - 5 de fevereiro de 2021

O tempo não para, já dizia a canção. E o tempo também faz parte de um conjunto de tags HTML que podem ser muito úteis no seu projeto.

Deixe um Comentário

Your email address will not be published.

Mais publicações

Como cortar texto sem usar uma linha de script
Dicas
22 visualizações
22 visualizações

Como cortar texto sem usar uma linha de script

Carlos L. A. da Silva - 11 de janeiro de 2021
Como começar a programar
Artigos
29 visualizações
29 visualizações

Como começar a programar

Carlos L. A. da Silva - 7 de janeiro de 2021
Como cancelar qualquer conta online para sempre
Dicas
31 visualizações
31 visualizações

Como cancelar qualquer conta online para sempre

Carlos L. A. da Silva - 30 de dezembro de 2020
Retrospectiva (positiva) de 2020
Artigos
33 visualizações
33 visualizações

Retrospectiva (positiva) de 2020

Carlos L. A. da Silva - 29 de dezembro de 2020