0 Compartilhamentos 520 Views

Confira tudo que rolou na conferência Made By Google

4 de outubro de 2017

O Google conseguiu superar a Apple… em volume de vazamentos, pelo menos. Antes da apresentação do seu segundo evento Made by Google, em San Francisco, boa parte do que seria revelado já era de conhecimento público mas isso não impediu a empresa de ter algumas surpresas na manga.

Além do já esperado smartphone Pixel 2, o Google também trouxe para o evento uma nova linha de dispositivos inteligentes Home para competir com a Alexa da Amazon, um novo lema que coloca Inteligência Artificial na frente de várias estratégias e o anúncio de um novo Chromebook, o primeiro em anos.

Sundar Pichai, CEO do Google, abriu o Made by Google com uma pausa para condolências e silêncio em nome das vítimas do massacre de Las Vegas dessa segunda-feira.

Em seguida, ele apresentou dados sobre os avanços de aprendizado de máquina no Google ao longo do ano e revelou que o foco da empresa está prestes a mudar de “primeiro mobile” para “primeiro IA”. O objetivo é aperfeiçoar seus esforços no campo e criar uma Inteligência Artificial que seja mais adaptativa, conversacional e possa fazer parte do cotidiano dos consumidores, aprendendo sobre contextos e situações.

Para alavancar esse projeto, o Google está convergindo hardware, software e Inteligência Artificial em produtos. Foi a deixa para começar a apresentar sua nova linha de dispositivos.

O Home Mini e o Home Max foram os primeiros a serem exibidos no evento. Eles são as novas versões do Home, o alto-falante inteligente desenvolvido pela empresa para competir pela sala de estar contra o Alexa, da rival Amazon. O menor deles tem o formato de um disco, uma brutal reviravolta para o layout em forma de torre do Home original apresentado no ano passado. O Home Max traz o formato de uma tabuleta, mas também com bordas arredondadas.

Além do visual novo, os dispositivos também trazem melhorias consideráveis em seus comandos, sendo possível, inclusive, programar uma série de tarefas a serem disparadas por uma única frase. Um simples “good morning” (“bom dia”, em Português) para os assistentes seria o suficiente para regular luzes e iniciar o preparo de um café, por exemplo. Outra novidade é a possibilidade de fazer ligações telefônicas a partir do Home.

Por enquanto, a linha Home continua sendo exclusiva para um grupo seleto de países: Estados Unidos, Austrália, Canadá, França, Alemanha, Japão e Reino Unido. Não há qualquer previsão de lançamento para o Brasil.

De uma forma inesperada, o Google revelou um novo Chromebook logo em seguida. Batizado de Pixelbook, o dispositivo móvel pesa apenas 1.1 kg, e tem uma espessura de 10 milímetros. Ainda assim, ele tem potência de sobra, com um processador Intel Core i5 (com uma versão i7) e 8GB de RAM (podendo chegar a 16GB, dependendo da versão). Espaço de armazenamento também não é problema: são 128GB disponíveis para o sistema e para arquivos no modelo mais simples e 512GB no mais caro.

Um detalhe que deverá chamar atenção é que ele é silencioso: o Pixelbook não possui ventoinhas para ventilação. Não é o primeiro laptop a ser construído para abdicar desse recurso, mas certamente é uma novidade que contribui e muito para seu peso e tamanho. Outra característica forte é sua autonomia de bateria: o Google garante que o dispositivo suporta 10 horas de uso contínuo e a bateria pode recarregar até duas horas de energia em apenas 15 minutos.

O lançamento de um Chromebook depois de anos sem novos produtos na linha está ligada também à estratégia de Inteligência Artificial do Google: o Pixelbook é o primeiro laptop integrado nativamente com o Google Assistant, inclusive com uma tecla dedicada para evocar o assistente pessoal.

Toda essa elegância e desempenho tem um preço: a versão mais simples sairá de fábrica custando US$999 (8GB RAM, 128GB SSD, Intel CoreTM i5). Os outros modelos disponíveis custarão US$1.199 (8GB RAM, 256GB SSD,  Intel CoreTM i5) e US$$1.649 (16GB RAM, 512GB NVMe, Intel CoreTM i7). A caneta digital Pixelbook Pen será vendida de forma separada por US$99. Não há previsão de lançamento oficial no Brasil.

Mas o produto mais aguardado o Google deixou para o final: o Google Pixel 2 e o Pixel 2 XL, a segunda geração da nova investida da empresa no mercado de smartphones. É claro que o Google Assistant ocupou um lugar de destaque na apresentação do dispositivo: os dois aparelhos com telas de 5 e 6 polegadas respectivamente contam com um recurso que basta apertar as laterais para ativar o assistente virtual.

Em termos técnicos, os novos Pixel trazem processadores Snapdragon 835 com 4 GB de memória RAM e uma bateria de 2.700 mAh. Trazendo apenas uma lente de câmera, o Google garante obter a mesma qualidade de imagem dos novos iPhones, que apresentam duas. O Google também citou o site DxOMark, especializado em benchmarks de câmeras, que deu uma nota 98 para o Pixel 2, a maior já registrada até agora.

Assim como os demais produtos anunciados, não há qualquer previsão de lançamento dos smartphones no Brasil.

Carregando...

Você pode se interessar

Sir Clive Sinclair, o homem adiantado no tempo
Artigos
112 visualizações
Artigos
112 visualizações

Sir Clive Sinclair, o homem adiantado no tempo

Carlos L. A. da Silva - 18 de setembro de 2021

O inglês Clive Marles Sinclair nasceu de uma família de engenheiros. Seu avô foi engenheiro, assim como o seu pai. Com um talento natural pela Matemática e um forte interesse em eletrônica, ele se tornaria uma página importante da popularização da computação em diversas partes do mundo, construindo um legado que se perpetuará por anos […]

A cibersegurança por trás das vacinas
Artigos
218 visualizações
Artigos
218 visualizações

A cibersegurança por trás das vacinas

Carlos L. A. da Silva - 7 de setembro de 2021

Vacinas contra o coronavírus contam com aparato sofisticado de cibersegurança que bateu de frente com tentativa de ação de hackers.

Top 25 comandos do Git
Artigos
360 visualizações
Artigos
360 visualizações

Top 25 comandos do Git

Carlos L. A. da Silva - 28 de agosto de 2021

Git é uma mão na roda para source control, mas pode ficar melhor ainda conhecendo os comandos certos.

Deixe um Comentário

Your email address will not be published.

Mais publicações

Dez anos de Kotlin: origens e futuro
Artigos
415 visualizações
415 visualizações

Dez anos de Kotlin: origens e futuro

Carlos L. A. da Silva - 20 de agosto de 2021
10 jogos que todo programador deveria conhecer
Artigos
733 visualizações
733 visualizações

10 jogos que todo programador deveria conhecer

Carlos L. A. da Silva - 1 de agosto de 2021