0 Compartilhamentos 170 Views

Correios rebate acusações do Mercado Livre

28 de fevereiro de 2018

Depois da polêmica da campanha montada pelo Mercado Livre contra o reajuste de preços dos Correios, que chegou a ser um dos assuntos mais comentados nas redes sociais ontem, os próprios Correios rebateram as acusações no final da tarde.

Em um comunicado oficial publicado em seu blog, os Correios sustentam que o aumento não será em média tão alto quanto informado pelo Mercado Livre e não visa prejudicar o comércio eletrônico no país.

A empresa também se defende das comparações com os valores cobrados em outros países, justificando suas tarifas pela extensão territorial do Brasil, e explica que o reajuste anual dos preços faz parte do planejamento dos Correios.

Confira a íntegra da defesa dos Correios:

Sobre a campanha realizada pelo Mercado Livre em suas redes sociais a respeito do ajuste de preços que será aplicado pelos Correios a partir de 6 de março para os clientes de contrato, os Correios esclarecem:

Ao contrário do que foi divulgado, o reajuste não será de “até 51% no frete dos produtos a todos que compram e vendem pela internet”. A média será de apenas 8% para os objetos postados entre capitais e nos âmbitos local e estadual, que representam a grande maioria das postagens realizadas nos Correios.

Cabe ressaltar que o reajuste não é para o e-commerce, mas para os serviços de encomendas dos Correios, também utilizados pelo e-commerce. Trata-se de uma revisão anual, a exemplo do previsto em contrato. A definição dos preços é sempre baseada no aumento dos custos relacionados à prestação dos serviços, que considera gastos com transporte, pagamento de pessoal, aluguéis de imóveis, combustível, contratação de recursos para segurança, entre outros.

Comparar o preço de frete praticado no Brasil com os países vizinhos, como faz a nota, é tendencioso e pode levar o consumidor a acreditar em uma falsa premissa. O maior dos países citados – a Argentina – tem cerca de um terço da extensão territorial do Brasil e 40% de toda a sua população concentrada na região metropolitana de Buenos Aires. A maior cidade brasileira, por sua vez, tem 10% da população do país. Outro exemplo citado na nota, a Colômbia, é cerca de seis vezes menor que o Brasil. Os desafios de transporte em um país com dimensões continentais são muito maiores e os custos para manter a presença dos Correios em todo o território nacional são altíssimos.

Os contundentes problemas relacionados à segurança pública em diversas localidades do país também são pontos que merecem ser destacados. Conforme amplamente divulgado pelos veículos de comunicação, no Rio de Janeiro a situação de violência chegou a níveis extremos e o custo para entrega de mercadorias nessa localidade sofreu altíssimo impacto, dadas as medidas necessárias para manutenção da integridade dos empregados, das encomendas e até das unidades dos Correios. Por esse motivo, foi estabelecida uma cobrança emergencial de R$ 3 para os envios destinados à cidade do Rio de Janeiro, cobrança essa que poderá ser suspensa a qualquer momento, desde que a situação de violência seja controlada. Vale esclarecer que essa cobrança já é praticada por outras transportadoras brasileiras desde março de 2017.

Os Correios ressaltam que a parceria com o e-commerce brasileiro é de extrema importância para a empresa. Parceria que, inclusive, viabiliza a atividade de inúmeras micro, pequenas e médias empresas que vendem pela internet devido à oferta de pacotes de benefícios dos Correios exclusivos para os marketplaces brasileiros, incluindo reduções de preço que chegam a mais de 30% no SEDEX e 13% no PAC quando comparado aos preços à vista.

Também em função dessa parceria, a empresa mantém uma Política Comercial com uma estratégia de precificação que segue a lógica do mercado e, mesmo com os aumentos de custos, buscou o menor impacto possível nas praças mais relevantes para o e-commerce brasileiro.

Por fim, essa revisão mantém os Correios competitivos em seus preços praticados no Brasil inteiro, garantindo sua presença em todo o território nacional.

Você pode se interessar

Markdown // Dicionário do Programador
Vídeos
1,655 compartilhamentos6,809 visualizações
Vídeos
1,655 compartilhamentos6,809 visualizações

Markdown // Dicionário do Programador

Thais Cardoso de Mello - 21 de janeiro de 2019

Markdown é o termo falado nesse Dicionário do Programador. Conheça mais sobre essa linguagem de marcação.

Idade: Estou Velho para Ser Programador? // CAC #08
Vídeos
1,655 compartilhamentos6,812 visualizações
Vídeos
1,655 compartilhamentos6,812 visualizações

Idade: Estou Velho para Ser Programador? // CAC #08

Thais Cardoso de Mello - 17 de janeiro de 2019

Um assunto recorrente pedido por nossos CDFs é para falarmos sobre a relação da Idade com o mercado de trabalho em tecnologia. Será que estou velho para ser programador?

Manifesto Ágil: Retrospectivas Lúdicas
Artigos
15 visualizações
Artigos
15 visualizações

Manifesto Ágil: Retrospectivas Lúdicas

Plataformatec - 14 de janeiro de 2019

Conquistando melhoria contínua através de uma estruturar lúdica, estimulando o pensamento crítico e a atenção dos membros durante a dinâmica.

Deixe um Comentário

Your email address will not be published.

Mais publicações

Agile // Dicionário do Programador
Vídeos
1,655 compartilhamentos6,812 visualizações
1,655 compartilhamentos6,812 visualizações

Agile // Dicionário do Programador

Thais Cardoso de Mello - 14 de janeiro de 2019
Promoções de Jogos do Final de Semana (11/01)
Notícias
24 visualizações
24 visualizações

Promoções de Jogos do Final de Semana (11/01)

Carlos L. A. da Silva - 11 de janeiro de 2019
God of War: segredos dos bastidores do melhor jogo de 2018
Artigos
21 visualizações
21 visualizações

God of War: segredos dos bastidores do melhor jogo de 2018

Carlos L. A. da Silva - 11 de janeiro de 2019
As 5 Melhores Linguagens para 2019 // Vlog #86
Vídeos
1,655 compartilhamentos6,820 visualizações
1,655 compartilhamentos6,820 visualizações

As 5 Melhores Linguagens para 2019 // Vlog #86

Thais Cardoso de Mello - 10 de janeiro de 2019