0 Compartilhamentos 15 Views

8 jogos que foram cancelados para surgirem jogos diferentes

Um dos destaques da E3 desse ano, a maior feira de jogos eletrônicos do planeta, foi a revelação oficial do jogo baseado nos Vingadores dos quadrinhos, produzido pela Square-Enix e desenvolvido pelo estúdio Crystal Dynamics. Aproveitando a febre dos personagens no cinema, o título tem tudo para ser um sucesso em 2020.

Entretanto, o que pouca gente sabe é que essa não é a primeira tentativa de se produzir um jogo baseado na equipe de super-heróis. Na indústria dos jogos eletrônicos, frequentemente, um projeto cancelado não significa necessariamente uma oportunidade perdida, mas pode abrir portas para um jogo melhor no futuro, sobre o mesmo tema ou com a mesma equipe de desenvolvedores.

Selecionamos oito momentos em que isso pode ter acontecido no passado:

1) The Avengers

O projeto cancelado da finada THQ seria um título cooperativo para quatro jogadores em primeira pessoa e colocaria os Vingadores em confronto com os alienígenas metamorfos Skrulls. O jogo teria relação com o Universo Cinematográfico da Marvel mas seria baseado em uma história original criada por Brian Michael Bendis, baseado na saga Invasão Secreta.

Cancelamento: The Avengers foi cancelado quando estava quase em pronto, em 2012. O cancelamento foi uma tentativa de reduzir custos e impedir a falência da produtora, que acabou acontecendo mesmo assim.

Marvel’s Avengers foi anunciado pela primeira vez em 2017, fruto de uma colaboração entre os estúdios Marvel e a produtora Square-Enix. Após dois anos de silêncio, o jogo ressurgiu durante essa E3 2019. Detalhes da jogabilidade ainda não foram divulgados. O título deve ser lançado em 15 de maio de 2020, para PlayStation 4, Xbox One, Microsoft Windows e Google Stadia.

2) Streets Of Rage

A famosa franquia de pancadaria da era dos 16-bit passaria por um reboot em 2012, com o projeto sendo capitaneado pela produtora Sega e pela desenvolvedora Ruffian Games, a mesma responsável por Crackdown 2. Deveria ser o segundo projeto da empresa e repaginava o jogo original com um tom mais sombrio e um novo tipo de visão tridimensional.

Cancelamento: O protótipo do remake foi criado em apenas dois meses, mas a Sega terminaria cancelando tudo em 2012 em um redirecionamento de foco, para privilegiar outras marcas de seu catálogo, como Sonic e Football Manager.

Streets of Rage 4 ignora a modernização, mantém a numeração da série e se apoia fortemente na nostalgia. Preservando a visão lateral e optando por um visual inspirado nos gráficos clássicos, o novo jogo ainda não tem data para ser lançado e nem plataformas anunciadas, mas está deixando os fãs ansiosos pelo retorno.

3) Star Wars: Battlefront 3

Em uma Galáxia muito distante, o terceiro título da franquia de tiro baseada em Star Wars estava sendo desenvolvida pela Free Radical Design em um projeto que se arrastou por quase dois anos. A produtora LucasArts desejava um título muito mais ambicioso do que os dois jogos anteriores, com batalhas monumentais indo da superfície de um planeta até o espaço na mesma sessão.

Cancelamento: Star Wars: Battlefront 3 teria sido cancelado com 99% do desenvolvimento concluído, em 2008, devido aos seus custos elevados. O fracasso do projeto levaria a Free Radical Design a declarar falência e ser posteriormente comprada pela Crytek.

Star Wars Battlefront é fruto da compra dos direitos da franquia Star Wars pela Disney e a formação de uma aliança com a produtora EA Games para o desenvolvimento de novos jogos. Entre os diversos projetos planejados estava o remake da série Battlefront, que zerou a numeração. Apesar do sucesso ter gerado uma sequência, ainda há dúvidas se algum dia haverá, de alguma forma, um terceiro Battlefront.

4) Prey 2

A continuação do obscuro primeiro Prey daria uma guinada na série, ampliando seu escopo. O jogo desenvolvido pela Human Head Studios e bancado pela produtora Bethesda colocaria o jogador no papel de um caçador de recompensas humano em um mundo alienígena buscando respostas sobre seu passado.

Cancelamento: Após um estrondoso e promissor anúncio original, Prey 2 mergulhou em um silêncio constrangedor e constantes rumores de cancelamento por problemas de qualidade. Em 2014, a Bethesda confirmou oficialmente que o jogo não estava mais sendo produzido.

Prey não guarda qualquer relação com o título original de 2006 ou com sua cancelada continuação, além do nome. A Bethesda convocou o estúdio Arkane para desenvolver uma história completamente diferente, com traços de survival horror e alienígenas capazes de mudar de forma.

5) Tom Clancy’s Rainbow 6 Patriots

Em 2011, o título surpreendeu muita gente com um trailer dinâmico e tenso. Nesse novo título da franquia, o jogador deveria combater uma milícia dentro dos Estados Unidos que ameaçava a ordem pública, um tema conturbado para o público. Com ênfase no trabalho individual, foco no enredo e decisões difíceis no caminho, o jogo parecia um passo ousado para a série.

Cancelamento: Após anos de silêncio, a produtora e desenvolvedora Ubisoft confirmou o cancelamento em 2014 para buscar novos caminhos para a marca e lançar um produto para a geração seguinte de consoles.

Rainbow Six: Siege teve seu desenvolvimento iniciado no instante em que Patriots foi cancelado. Com um motor gráfico superior, longe de polêmicas e ênfase profunda no trabalho em equipe em partidas multiplayer, o título foi gradativamente se tornando um sucesso no meio do e-Sport e provou ser uma decisão bem tomada pela Ubisoft.

6) Titan

A desenvolvedora e produtora Blizzard trabalhava a portas fechadas em um novo MMORPG, desta vez de ficção-científica, para ser uma alternativa a World of Warcraft e ao mesmo tempo funcionar como uma nova propriedade intelectual da empresa, a primeira desde StarCraft, de 1998. O projeto teria sido iniciado em 2007 e ficado um longo tempo em estudos e protótipos.

Cancelamento: A Blizzard é uma máquina de projetos paralelos que nem sempre veem a luz do dia. Depois de sete longos anos, Titan foi oficialmente cancelado em 2014, sem nunca ter sido formalmente apresentado. A era dos MMORPGs havia passado e a Blizzard desejava algo novo.

Overwatch nasceu das cinzas de Titan: seus desenvolvedores foram orientados a aproveitar de alguma maneira os recursos já prontos e apresentar uma proposta ou precisariam ser desligados da produtora. Trabalhando com afinco em tempo recorde, conceberam um jogo futurista cooperativo multiplayer e atingiram um sucesso inesperado no mercado.

7) Doom 4

A produtora e desenvolvedora id Software cancelou Doom 4 não uma, mas duas vezes. O projeto original foi anunciado em 2008 e seguiria o mesmo estilo do resto da franquia, mostrando a chegada dos demônios na Terra, continuando a partir de Doom 3. Com o sucesso de títulos militares como Call of Duty, o desenvolvimento do quarto jogo foi reiniciado e adotou uma atmosfera de guerra aberta contra os demônios, abandonando o terror.

Cancelamento: A produtora Bethesda adquiriu a id Software em 2009. Em 2012, enviou a ordem de cancelar a versão “guerra total” de Doom 4 em favor de reiniciar a franquia uma terceira vez, recuperando a ação frenética e o clima de horror dos três primeiros jogos.

Doom é um novo reinício de uma franquia que nunca se preocupou em evoluir seu universo. Doom II já era basicamente uma expansão do primeiro, Doom 3 era o primeiro jogo refeito com gráficos muito superiores. O novo Doom de 2016 atualizou os gráficos mais uma vez, mas também trouxe de volta a ação desenfreada do início da série e isso agradou os jogadores em cheio. Doom Eternal está vindo para dar continuidade a essa tendência, com mais elementos de ação e violência.

8) Fallout Online

Quando a produtora Interplay Entertainment vendeu os direitos da marca Fallout para a produtora Bethesda, aparentemente reteve a possibilidade de lançar um MMORPG ambientado no mesmo universo. O jogo foi anunciado em 2009, mas sem nenhuma prévia de jogabilidade, apenas artes conceituais e um cadastro para receber novidades.

Cancelamento: A Bethesda e a Interplay disputariam nos tribunais a validade de Fallout Online. Há quem sustente que a Interplay não tinha condições financeiras para o desenvolvimento de um MMORPG e estaria manobrando em busca de um acordo indenizatório. De um jeito ou de outro, as duas empresas acertaram as contas em um acordo extra-judicial e o jogo foi cancelado em 2012.

Fallout 76 pode não ser o MMORPG que os fãs tinham em mente. Assolado por bugs no seu lançamento e decisões de design equivocadas, o jogo luta para encontrar seu público. Durante essa E3, a Bethesda se comprometeu a corrigir todos os problemas, adicionar novo conteúdo e novos modos e seguir dando suporte a longo prazo, o que pode acabar levando o jogo a dar a volta por cima.

Você pode se interessar

Como enlouquecer os rastreadores de internet
Dicas
7 visualizações
Dicas
7 visualizações

Como enlouquecer os rastreadores de internet

Carlos L. A. da Silva - 18 de setembro de 2019

Track This é um experimento criado pelo time do Firefox que vai alterar completamente o perfil que os anunciantes tem de você.

A história de Amazônia, o primeiro jogo brasileiro!
Artigos
8 visualizações
Artigos
8 visualizações

A história de Amazônia, o primeiro jogo brasileiro!

Carlos L. A. da Silva - 17 de setembro de 2019

Como um programador iniciante criou um adventure clássico que atravessou décadas.

VIM (Amado ou Odiado?) // Dicionário do Programador
Vídeos
6 visualizações
Vídeos
6 visualizações

VIM (Amado ou Odiado?) // Dicionário do Programador

Thais Cardoso de Mello - 16 de setembro de 2019

Uma poderosa ferramenta, que dispensa apresentações, e vem sendo utilizada por muitas gerações de programadores.

Mais publicações

Promoções de Jogos do Final de Semana (13/09)
Notícias
10 visualizações
10 visualizações

Promoções de Jogos do Final de Semana (13/09)

Carlos L. A. da Silva - 13 de setembro de 2019
Como usar os novos atributos de link do Google
Dicas
11 visualizações
11 visualizações

Como usar os novos atributos de link do Google

Carlos L. A. da Silva - 11 de setembro de 2019