Categorias

Tudo sobre DNS, SMTP, SNMTP

O que é DNS?

O DNS (Domain Name System) e um esquema de gerenciamento de nomes, hierárquico e distribuído. O DNS define a sintaxe dos nomes usados na Internet, regras para delegação de autoridade na definição de nomes, um banco de dados distribuído que associa nomes a atributos (entre eles o endereço IP) e um algoritmo distribuído para mapear nomes em endereços.

O DNS e especificado nas RFCs 882, 883 e 973. As aplicações normalmente utilizam um endereço IP de 32 bits no sentido de abrir uma conexão ou enviar um datagrama IP.

Entretanto, os usuários preferem identificar as maquinas através de nomes ao invés de números. Assim e necessário um banco de dados que permita a uma aplicação encontrar um endereço, dado que ela conhece o nome da maquina com a qual se deseja comunicar. Um conjunto de servidores de nomes mantém o banco de dados com os nomes e endereços das maquinas conectadas a Internet.

Na realidade este e apenas um tipo de informação armazenada no domain system (sistema de domínios). Note que e usado um conjunto de servidores interconectados, ao invés de um único servidor centralizado. Existem atualmente tantas instituições conectadas a Internet que seria impraticável exigir que elas notificassem uma autoridade central toda vez que uma maquina fosse instalada ou trocasse de lugar.

Assim, a autoridade para atribuição de nomes e delegada a instituições individuais.
Os servidores de nome formam uma arvore, correspondendo a estrutura institucional. Os nomes também adotam uma estrutura similar. Um exemplo típico e o nome chupeta.jxh.xyz.br. Para encontrar seu endereço Internet, pode ser necessário o acesso a ate quatro servidores de nomes. Inicialmente deve ser consultado um servidor central, denominado servidor raiz, para descobrir onde esta o servidor br. O servidor br e o responsável pela gerencia dos nomes das instituições/empresas brasileiras ligadas a Internet.

O servidor raiz informa como resultado da consulta o endereço IP de vários servidores de nome para o nível br (pode existir mais de um servidor de nomes em cada nível, para garantir a continuidade da operação quando um deles para de funcionar). Um servidor do nível br pode então ser consultado, devolvendo o endereço IP do servidor xyz. De posse do endereço de um servidor xyz e possível solicitar que ele informe o endereço de um servidorjxh, quando, finalmente, pode-se consultar o servidor jxh sobre o endereço da maquina chupeta. O resultado final da busca e o endereço Internet correspondente ao nome chupeta.jxh.xyz.br Cada um dos níveis percorridos e referenciado como sendo um domínio.

O nome completo chupeta.jxh.xyz.br e um nome de domínio. Na maioria dos casos, não e necessário ter acesso a todos os domínios de um nome para encontrar o endereço correspondente, pois os servidores de nome muitas vezes possuem informações sobre mais de um nível de domínio o que elimina uma ou mais consultas. Alem disso, as aplicações normalmente tem acesso ao DNS através de um processo local (servidor para as aplicações e um cliente DNS), que pode ser implementado de modo a guardar os últimos acessos feitos, e assim resolver a consulta em nível local. Essa abordagem de acesso através de um processo local, simplifica e otimiza a tarefa das aplicações no que tange ao mapeamento de nomes em endereços, uma vez que elimina a necessidade de implementar, em todas as aplicações que fazem uso do DNS, o algoritmo de caminhamento na arvore de domínios descrito anteriormente. O DNS não se limita a manter e gerenciar endereços Internet.

Cada nome de domínio e um no em um banco de dados, que pode conter registros definindo varias propriedades. Por exemplo, o tipo da maquina e a lista de serviços fornecidos por ela. O DNS permite que seja definido um alias (nome alternativo) para o no. Também e possível utilizar o DNS para armazenar informações sobre usuários, listas de distribuição ou outros objetos.

O DNS e particularmente importante para o sistema de correio eletrônico. No DNS são definidos registros que identificam a maquina que manipula as correspondências relativas a um dado nome, identificado assim onde um determinado usuário recebe suas correspondências. O DNS pode ser usado também para definição de listas para distribuição de correspondências

O que é SMTP?

O SMTP (Simple Mail Transfer Protocol) e o protocolo usado no sistema de correio eletrônico na arquitetura Internet TCP/IP. Um usuário, ao desejar enviar uma mensagem, utiliza o modulo interface com o usuário para compor a mensagem e solicita ao sistema de correio eletrônico que a entregue ao destinatário. Quando recebe a mensagem do usuário, o sistema de correio eletrônico armazena uma copia da mensagem em seu spool (área do dispositivo de armazenamento), junto com o horário do armazenamento e a identificação do remetente e do destinatário. A transferência da mensagem e executada por um processo em background, permitindo que o usuário remetente, apos entregar a mensagem ao sistema de correio eletrônico, possa executar outras aplicações. O processo de transferência de mensagens, executando em background, mapeia o nome da maquina de destino em seu endereço IP, e tenta estabelecer uma conexão TCP com o servidor de correio eletrônico da maquina de destino. Note que o processo de transferência atua como cliente do servidor do correio eletrônico. Se a conexão for estabelecida, o cliente envia uma copia da mensagem para o servidor, que a armazena em seu spool. Caso a mensagem seja transferida com sucesso, o servidor avisa ao cliente que recebeu e armazenou uma copia da mensagem. Quando recebe a confirmação do recebimento e armazenamento, o cliente retira a copia da mensagem que mantinha em seu spool local. Se a mensagem, por algum motivo, não for transmitida com sucesso, o cliente anota o horário da tentativa e suspende sua execução. Periodicamente o cliente acorda e verifica se existem mensagens a serem enviadas na área de spool e tenta transmiti-las.

Se uma mensagem não for enviada por um período, por exemplo de dois dias,o serviço de correio eletrônico devolve a mensagem ao remetente, informando que não conseguiu transmiti-la. Em geral, quando um usuário se conecta ao sistema, o sistema de correio eletrônico e ativado para verificar se existem mensagens na caixa postal do usuário. Se existirem, o sistema de correio eletrônico emite um aviso para o usuário que, quando achar conveniente, ativa o modulo de interface com o usuário para receber as correspondências. Uma mensagem SMTP divide-se em duas partes: cabeçalho e corpo, separados por uma linha em branco. No cabeçalho são especificadas as informações necessárias para a transferência da mensagem. O cabeçalho e composto por linhas, que contem uma palavra-chave seguida de um valor. Por exemplo, identificação do remetente (palavra-chave "to:" seguida do seu endereço), identificação do destinatário, assunto da mensagem, etc… No corpo são transportadas as informações da mensagem propriamente dita. O formato do texto e livre e as mensagens são transferidas no formato texto.

Os usuários do sistema de correio eletrônico são localizados através de um par de identificadores. Um deles especifica o nome da maquina de destino e o outro identifica caixa postal do usuário. Um remetente pode enviar simultaneamente varias copias de uma mensagem, para diferentes destinatários utilizando o conceito de lista de distribuição (um nome que identifica um grupo de usuários). O formato dos endereços SMTP e o seguinte: [email protected]_do_dominio onde o nome_do_dominio identifica o domínio ao qual a maquina de destino pertence (esse endereço deve identificar um grupo de maquinas gerenciado por um servidor de correio eletrônico). O nome local identifica a caixa postal do destinatário. O SMTP especifica como o sistema de correio eletrônico transfere mensagens de uma maquina para outra. O modulo interface com usuário e a forma como as mensagens são armazenadas não são definidos pelo SMTP.

O sistema de correio eletrônico pode também ser utilizado por processos de aplicação para transmitir mensagens contendo textos.

O que é SNMP?

O sistema de gerenciamento de rede da arquitetura Internet TCP/IP opera na camada de aplicação e baseia-se no protocolo SNMP (Simple Network Management Protocol). Os padrões que definem a estrutura de gerenciamento de redes Internet são descritos nos documentos RFC-1155 (Structure Of Management Information), RFC-1156 (Management Information Base) e RFC-1157 (Simples Network Management Protocol). Como no esquema de gerenciamento OSI, os processos que implementam as funções de gerenciamento Internet atuam como agentes ou gerentes. Os agentes coletam junto aos objetos gerenciados as informações recolhidas pelos clientes, com o objetivo de detectar a presença de falhas no funcionamento dos componentes da rede (hosts, gateways, processos executando os protocolos de comunicação, etc…), para que possam ser tomadas providencias no sentido de contornar os problemas que ocorrem como conseqüência das falhas. Um objeto gerenciado representa um recurso que pode ser um sistema hospedeiro (estação de trabalho, servidor de terminais, etc…), um gateway ou um equipamento de transmissão (modem, pontes, concentradores, etc…).

Cada objeto gerenciado e visto como uma coleção de variáveis cujo valor pode ser lido ou alterado. O gerente envia comandos aos agentes, solicitando uma leitura no valor das variáveis dos objetos gerenciados (get e response), ou modificando seu valor (put). A modificação do valor de uma variável pode ser usada para disparar indiretamente a execução de operações nos recursos associados aos objetos gerenciados (por exemplo, uma reiniciarão). Na troca de informações entre o gerente e o agente, são aplicados mecanismos de autenticação para evitar que usuários não autorizados interfiram no funcionamento da rede. A troca de mensagens entre o gerente e o agente e definida pelo protocolo SNMP. O SNMP define o formato e a ordem que deve ser seguida no intercambio de informações de gerenciamento. As informações sobre os objetos gerenciados são armazenados na MIB (Management Information Base), que contem informações sobre o funcionamento dos hosts, dos gateways, e dos processos que executam os protocolos de comunicação (IP, TCP, ARP, …). A MIB e especificada em ASN.1. O funcionamento do SNMP baseia-se na troca de operações que permitem que o gerente solicite que o agente lhe informe, ou modifique, o valor de uma variável de um objeto na MIB. O SNMP define também uma operação (trap), que permite que um agente informe ao gerente a ocorrência de um evento especifico. Com o objetivo de permitir o uso do esquema de gerenciamento OSI em redes que adotam a arquitetura Internet TC/IP, foi definido o protocolo de gerenciamento CMOT (CMIP Over TCP/IP). O CMOT utiliza o servico CMIS (Common Management Information Service) e o protocolo CMIP (Common Management Information Protocol) funcionando sobre uma conexão TCP/IP. O CMTU e descrito na RFC-1095. Alex carvalho ——————– Mensagem editada por Tira Acentos 1.00 – Diabolik Dreamz Soft, 1995 MLº Alguem teria algum artigo em portugues sobre o que é ºDNS em um servidor, ou ate mesmo uma explicação de forma simples para ºque serve o DNS, sei somente que ele faz troca de nome por numero. É exatamente isso. Você da um nome pra ele e ele fala o endereço IP (números) correspondente aquele nome. Pra que serve isso? Pacotes IP tem de ser endereçados por números, mas é extremamente incomodo pra seres humanos decorar números. A solução foi usar um serviço que fizesse a tradução de um para outro. Quando vc faz uma conexão comwww.shareware.com o seu browser faz uma conexão com um servidor DNS pedindo o endereço IP correspondente a string "www.shareware.com".

O DNS tenta resolver isso localmente, mas se não conseguir propaga a consulta pra outros servidores DNS ate conseguir (ou nao) a resposta, e então retorna o endereço pro browser que continua a conexão. Os nomes no estilo aaa.bbbbbb.cc.dddd.e são conseqüência da estrutura hierárquica usada na distribuição dos nomes, e essa estrutura é usada pra melhorar a eficiência na busca.