0 Compartilhamentos 878 Views 2 Comments

Trabalhadores sul-coreanos ganham super força com trajes robóticos

4 de agosto de 2014

Um futuro com seres humanos utilizando exoesqueletos de alta tecnologia para realizar tarefas do dia a dia com enorme facilidade talvez não esteja tão distante. Talvez, claro, ainda demore um bom tempo para vermos algo como um Homem de Ferro no mundo real, principalmente com fins militares (ou não?).

Talvez no início tudo seja ainda um tanto quanto feio, esteticamente falando, e o desenvolvimento e a utilização de trajes robóticos permaneça limitado a tarefas mais “corriqueiras” e/ou quem sabe mais simples e/ou braçais. Mas uma coisa ninguém pode negar: a raça humana já está em busca de “super força”, de quebrar limites, de fazer com que paraplégicos andem com a utilização de trajes controlados pelo cérebro.

A sul-coreana Daewoo Shipbuilding, uma das maiores empresas construtoras de navios do mundo, já realizou testes com exoesqueletos feitos de liga de alumínio, carbono e aço, os quais permitem que os usuários ergam e transportem cargas com até 30 quilos de maneira bem fácil (a meta da empresa é fazer com que os trajes permitam que os trabalhadores ergam até 100 quilos).

Além disso, os trabalhadores que participaram dos testes ainda mencionam que o traje permitiu que eles erguessem objetos pesados repetidamente e sem problemas. A empresa conta com um departamento totalmente dedicado a pesquisa e desenvolvimento, e seu engenheiro chefe, Gilwhoan Chu, diz que os trajes robóticos realmente ajudam os trabalhadores (afinal de contas, 30 quilos representam um peso e tanto, e temos de lembrar que esta tarefa deverá ser executada diversas vezes por dia). Além disso, pense bem, são 6 pacotes de arroz, e é também dito que os usuários envergando os trajes conseguem levantar tal carga com enorme facilidade.

Nós estivemos desenvolvendo e utilizando robôs e automação na construção naval por mais de uma década“, diz Gilwhoan Chu. A equipe de Chu trabalha atualmente para aprimorar os protótipos, tanto para que eles sejam capazes de carregar cargas mais pesadas quanto para serem capazes de usá-los em sua rotina diária.

Exoesqueleto - Daewoo

Os exoesqueletos da Daewoo Shipbuilding contam com baterias com autonomia de 3 horas, e servem em qualquer pessoa cuja altura esteja entre 1,60 e 1,85 m. O usuário, além disso, não sente o peso do equipamento (que pesa 28 quilos), pois ele suporta a si mesmo e é construído de forma tal a acompanhar os movimentos da pessoa. Os trabalhadores podem caminhar normalmente, também.

O traje robótico possui juntas hidráulicas e motores que se conectam a uma mochila na qual se localizam a bateria e os sistemas que controlam o conjunto, e o contato com o corpo do trabalhador se dá principalmente através do peito, da cintura e das coxas. É interessante ressaltar que o conjunto ainda pode ser alterado e receber itens extras, para a execução de tarefas específicas.

Estes trajes podem, no futuro, serem até mesmo empregados em indústrias e aplicações as mais diversas, ajudando também a reduzir, quem sabe, os riscos de acidentes e os problemas de saúde dos funcionários devido a esforço excessivo. É claro que ainda estamos, pelo menos aqui, lidando com protótipos.

Ainda estamos bem longe de algo tão futurista, bonito e multiuso quanto o traje de Prophet em Crysis, ou de algo tão, digamos, trágico mas ao mesmo tempo poderoso quanto os tentáculos mecânicos do Doutor Octopus. Existem problemas, também, com estes exoesqueletos sul-coreanos.

Durante os testes, os usuários tiveram dificuldades ao caminharem sobre superfícies escorregadias, e os equipamentos ainda são incapazes de lidar com movimentos que envolvam torção. Ainda assim, os protótipos parecem muito interessantes.

Imagine então quando a empresa conseguir fazer com que eles sejam capazes de erguer cargas mais pesadas? Vamos aguardar, pois, se hoje temos, por exemplo, drones que tiram selfies e até mesmo drones criminosos, o futuro dos trajes trajes robóticos com finalidades sérias pode ser bastante promissor.

Carregando...

Você pode se interessar

Pais criam aplicativo de código aberto melhor que o da escola, mas a polícia é acionada
Artigos
92 visualizações
Artigos
92 visualizações

Pais criam aplicativo de código aberto melhor que o da escola, mas a polícia é acionada

Carlos L. A. da Silva - 23 de novembro de 2021

Aplicativo oficial do sistema educacional da capital Suécia era ruim demais, mas a lei é a lei...

10 recursos HTML5 úteis que você pode não estar usando
Artigos
369 visualizações
Artigos
369 visualizações

10 recursos HTML5 úteis que você pode não estar usando

Carlos L. A. da Silva - 6 de novembro de 2021

O HyperText Markup Language nos acompanha desde os primórdios da web. É o seu tijolo mais básico. Podem surgir novas tecnologias, plugins, frameworks, conteúdo rico, mas o bom e velho HTML continua sendo a base de tudo e aprender seus mais profundos nuances é fundamental para os desenvolvedores. O HTML5 é a implementação atual da […]

O Metaverso está vindo?
Artigos
432 visualizações
Artigos
432 visualizações

O Metaverso está vindo?

Carlos L. A. da Silva - 1 de novembro de 2021

Mark Zuckerberg anunciou publicamente o desenvolvimento de um metaverso e está orientando toda sua empresa nessa direção... mas essa não é uma ideia inédita e talvez nem seja boa.

2 Responses

Deixe um Comentário

Your email address will not be published.

Mais publicações

Por que eu decidi não migrar para o Windows 11 agora
Artigos
550 visualizações
550 visualizações

Por que eu decidi não migrar para o Windows 11 agora

Carlos L. A. da Silva - 19 de outubro de 2021
Sir Clive Sinclair, o homem adiantado no tempo
Artigos
839 visualizações
839 visualizações

Sir Clive Sinclair, o homem adiantado no tempo

Carlos L. A. da Silva - 18 de setembro de 2021
A cibersegurança por trás das vacinas
Artigos
925 visualizações
925 visualizações

A cibersegurança por trás das vacinas

Carlos L. A. da Silva - 7 de setembro de 2021