0 Compartilhamentos 957 Views

Como verificar a presença de malware no seu site

Certamente, você está sempre com o navegador atualizado, o sistema operacional com todas as correções de segurança, removeu o Flash da máquina, e evita sites suspeitos. Afinal, é sabido que uma simples visita a um site comprometido pode acarretar a instalação de malware na máquina. Porém, você já se fez a pergunta: como o malware entra em um site, pra começo de conversa?

Na maioria absoluta dos casos, os administradores dos sites sequer sabem que seus servidores foram comprometidos. Operações automatizadas comandadas por hackers procuram por falhas de segurança em servidores para injetar código malicioso em páginas, scripts e arquivos e assim distribuir malware para afetar seu alvo primário: visitantes desprevenidos. Até mesmo grandes redes publicitárias já foram afetadas no passado, distribuindo anúncios que buscavam explorar brechas em navegadores.

Esse tipo de ataque é o inverso de um defacement. Quando acontece um defacement, ou desfiguração, em uma tradução livre, o invasor tem o objetivo de mostrar que entrou e alterou os arquivos, geralmente publicando alguma mensagem que revela sua presença. Entretanto, o criminoso eletrônico organizado tem uma meta: obter lucro, através do furto de informações ou controle de máquinas. Por causa disso, seu ataque costuma ser invisível: ele invade o servidor, altera arquivos para distribuição de malware e quanto mais imperceptível essa ação, melhor para seus objetivos.

A detecção desse ataque exige uma análise dos arquivos no servidor. Uma data alterada já pode ser um indício de que o arquivo foi adulterado à revelia. A presença de arquivos ou pastas estranhas também funcionam como indício de que algo não está certo.

Entretanto, a nossa recomendação é uma varredura mais profunda, usando ferramentas apropriadas para essa função. Felizmente, existem serviços online gratuitos que podem automatizar esse processo e identificar os tipos mais comuns de injeção de código malicioso:

  1. Sucuri SiteCheck: a empresa conhecida por suas soluções de segurança oferece uma análise gratuita contra malware, injeção de spamdefacement e erros internos de servidor.
  2. SiteGuarding: oferece soluções pagas, mas também possui uma análise gratuita profunda que combina métodos manuais e automáticos para descobrir problemas de segurança. Exige cadastro.
  3. SiteGuard: o nome é parecido, mas trata-se de um serviço diferente. Oferece uma análise de riscos de malware para um determinado endereço.
  4. Astra Security Scan: traz uma análise rápida, mas o relatório de resultados não é muito detalhado. Oferece soluções manuais mais profundas, porém pagas.
  5. VirusTotal: checa se o seu endereço consta em dezenas de bancos de dados de lista negra de fornecedores de antivírus e navegação segura.
  6. MalCare: é uma solução completa voltada para sites em WordPress. Oferece uma análise gratuita básica, mas exige cadastro.

Esses serviços podem indicar a presença de elementos nocivos no seu site mas compete ao administrador iniciar os procedimentos para a remoção imediata da ameaça e a identificação das brechas que permitiram a infecção em primeiro lugar.

Carregando...

Você pode se interessar

Conhecendo Svelte
Artigos
201 visualizações
Artigos
201 visualizações

Conhecendo Svelte

Carlos L. A. da Silva - 6 de janeiro de 2022

Svelte, React ou Vue? O especialista Josh Collinsworth disserta sobre a solução em seus mínimos detalhes.

Petrobras abre concurso com 757 vagas de nível superior
Artigos
251 visualizações
Artigos
251 visualizações

Petrobras abre concurso com 757 vagas de nível superior

Redação - 30 de dezembro de 2021

Há vagas para cientistas de dados, engenheiros e analistas de sistemas entre outras carreiras. As inscrições permanecerão abertas até o dia 05 de janeiro de 2022.

A história da imagem mais antiga da internet
Artigos
285 visualizações
Artigos
285 visualizações

A história da imagem mais antiga da internet

Carlos L. A. da Silva - 28 de dezembro de 2021

Lena Sjooblom saiu da página central da Playboy para se tornar um ícone dos engenheiros de imagens.

Deixe um Comentário

Your email address will not be published.

Mais publicações

Coreia do Sul no mapa dos jogos
Artigos
296 visualizações
296 visualizações

Coreia do Sul no mapa dos jogos

Carlos L. A. da Silva - 22 de dezembro de 2021
Rust é o futuro da infraestrutura JavaScript
Artigos
583 visualizações
583 visualizações

Rust é o futuro da infraestrutura JavaScript

Carlos L. A. da Silva - 6 de dezembro de 2021
Influenciadores digitais que não existem
Artigos
573 visualizações
573 visualizações

Influenciadores digitais que não existem

Carlos L. A. da Silva - 2 de dezembro de 2021